terça-feira, 11 de setembro de 2012

Algas na Alimentação Vegetariana

 As algas são pouco calóricas e fornecem boas quantidades de fibras. Contém fitoquímicos, como os carotenóides, que auxiliam no combate aos radicais livres. Fornecem quantidades de minerais como cálcio, potássio, magnésio, ferro, zinco e cobre. Se destacam pela quantidade de iodo que oferecem, sendo indicadas para a correção da deficiência desse mineral - a carência de iodo pode causar hipotireoidismo . A alga que contém quantidade mais significante é a kombu (70 mg/100g), seguida pela alga dulse (10,2mg/100g), wakame (3,9mg/100g) e nori (1,3mg/100g). Mas devemos ressaltar que quantidades excessivas de algas com altos teores de iodo também podem interferir negativamente na função da tireoide.
As algas contêm vitamina B12 na sua forma biologicamente inativa, ou seja, é uma forma análoga do nutriente. Portanto, as algas não podem ser consideradas fontes confiáveis de vitamina B12.  

Contêm ainda ácidos graxos pollinsaturados de cadeia longa – o chamado ômega 3, que possui importante função antiinflamatória. O ômega 3 ingerido precisa ser convertido em duas frações ativas para ter efeito em nosso corpo: EPA e DHA. As algas fornecem quantidades de DHA. Porém, a maioria delas não é considerada uma fonte concentrada devido ao seu baixo teor de gordura total. O consumo de fontes de ômega 3 deve ser frisado e aumentado, por exemplo, com a incorporação do óleo de linhaça, óleo de canola e chia. Para os ovo-lacto-vegetarianos, os ovos oferecem quantidades de EPA e DHA.
Estudos recentes, mostraram que a suplementação com o óleo feito a partir das algas pode auxiliar no aumento das concentrações de EPA e DHA em vegetarianos e ainda possui efeito moderadamente favorável (diminuição) do colesterol total. Para aqueles que não fazem uso de nenhum produto derivado de animais, as algas ou o óleo de algas encapsulado podem ser uma forma para aumentar indiretamente os níveis de ômega 3.
Assim sendo, a oferta de nutrientes encontradas nas algas possuem inúmeros benefícios: modulação do metabolismo hormonal, atividade antioxidante, modulação enzimas de destoxificação (eliminação de toxinas), estimulação o sistema imune e redução da agregação plaquetária e a pressão sanguínea.
Para os vegetarianos, as algas podem ser utilizadas de diversas formas. O àgar-àgar que é vendido em pó pode substituir as gelatinas de origem animal.  As gelatinas de àgar-àgar podem ser feitas com suco de frutas naturais e ainda tem a enorme vantagem de não possuírem corantes artificiais, comparadas às versões industrializadas. A alga kombu, pode ser cozida junto às leguminosas (feijões), com vegetais ou sopas. Deve ficar de molho antes para hidratação e seu cozimento é por volta de 30 minutos. A alga nori, pode ser utilizada para a preparação de sushis vegetarianos, sopas ou em pedaços nas saladas.

6 comentários:

  1. Olá Paula, como vai?

    Gostaria da sua permissão para reproduzir esse artigo no Cantinho Vegetariano. Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olá Elaine, tudo bem?

    Pode sim! Precisando de algo, só avisar.

    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Paula... Devo postar ainda hoje! ; )

      Excluir
  3. olá Paula,

    Você atende convênios no seu consultório ??

    ResponderExcluir
  4. Drª Paula gondim, se me permite uma pergunte. Em termos de alga, faço uso a muito tempo, de espirulina e clorela as quais são ótimas, No enanto a Koubo, dulce, Wakame e nori, não encontro em minha cidade. Poderia me informara onde encotnro, Parabens pelo seu artigo
    oabmauro@gmail.com

    ResponderExcluir
  5. O que ñ devê faltar na refeição diária de um ovo -lacto vegetariano, para que ele seja saudável?

    ResponderExcluir